Skip to main content

Osteoartrite canina

Voltar

A osteoartrite canina é uma doença degenerativa crônica que atinge ossos e articulações, provocando dores e diminuição na flexibilidade dos movimentos, sendo mais comum nos joelhos, cotovelos e vértebras.

Embora seja muito frequente em cães idosos, também pode ser decorrente de machucados, inflamações ou até mesmo obesidade. De qualquer forma, deve ser tratada imediatamente para que haja uma melhora significativa da doença.

 

É necessário estar atento aos sinais abaixo:

·         Dificuldade para se sentar ou levantar;

·         Irritabilidade ou agressividade, o cão não quer ser tocado no local que sente dor;

·         Gemidos;

·         Tendência a ficar quieto em um canto;

·         Aumento de lambidas ou mordidas em locais específicos do corpo;

·         Mancar constantemente.

 

Estes são alguns sinais que você deve procurar um veterinário para verificar se está tudo bem com o seu animalzinho. Embora os cães sejam mais silenciosos quando sentem dores, é necessário estar atento aos sinais apresentados.

Atualmente a osteoartrite não possui cura, mas é possível tratar as dores e as inflamações com Cimalgex e prolongar a vida saudável do seu animalzinho (consulte o veterinário para maiores informações).

Dicas

  • Uma das prováveis causas da maior sensibilidade à dor, também nos animais, nos dias frios é que as baixas temperaturas provocam constrição vascular e prejudicam a circulação do sangue no corpo.

    A necessidade de aquecimento da musculatura provoca uma contração que torna algumas partes do corpo mais doloridas, principalmente nas articulações dos animais mais velhos ou que tenham doenças como, por exemplo, a osteoartrite.

  • Você sabia que o focinho é como se fosse a digital de um cachorro? Cada animal da espécie possui um padrão único, o que faz o nariz de um, não ser o focinho do outro.

    A partir dessa informação, uma startup - a Megvii, lança um app capaz de identificar o seu pet. A inteligência artificial garante 95% de precisão nas buscas. Uma alternativa incrível ao uso de microchips destinados para os mesmos fins.

    Como funciona o aplicativo?

  • Um estudo realizado com pets e homens na Europa e publicado na revista European Radiology, revelou que em média, existem mais bactérias potencialmente infecciosas na barba de um homem do que na pelagem de um pet.

    Todos os homens que participaram do estudo tinham altas cargas de bactérias nos pelos faciais, mesmo apresentando condições perfeitas de saúde, enquanto 76% dos pets apresentaram bactérias em seu pelo. Foram consideradas provas de ressonâncias magnéticas nos pelos e no aparelho que realizou a coleta nos animais e nas pessoas.

  • A pesquisa realizada recentemente pela Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena), da Universidade de São Paulo (USP), em Piracicaba, mostra que as embalagens de rações não são suficientemente esclarecedoras para os proprietários de cães e gatos.

Osteoartrite canina CIMALGEX

Produtos